Páginas

terça-feira, 17 de abril de 2012

FARMACOLOGIA I - FARMACOCINÉTICA E FARMACODINÂMICA

FARMACOCINÉTICA
O QUE O ORGANISMO FAZ COM A DROGA


- Absorção
- Distribuição
- Metabolismo ou biotransformação
- Eliminação


FARMACODINÂMICA
O QUE A DROGA FAZ COM O ORGANISMO


- Local de absorção
- Mecanismo de transporte
- Superfície de absorção
- pH
- Circulação sanguínea do local de absorção.


ABSORÇÃO
É o processo pelo qual o fármaco entra no organismo. A ação farmacológica só ocorre quando o fármaco ATINGE , EM CONCENTRAÇÕES ADEQUADAS, O ÓRGÃO NO QUAL SE ESPERA QUE TENHA ATIVIDADE.
Até chegar ao local de ação, o fármaco atravessa várias MEMBRANAS BIOLÓGICAS.



TRANSPORTE ATRAVÉS DA MEMBRANA

1-) DIFUSÃO PASSIVA - do mais concentrado para o menos concentrado sem gasto de ATP.



2-) TRANSPORTE ATIVO - do menos concentrado para o mais concentrado, com gasto de ATP e Proteínas Carreadoras.


3-) TRANSPORTE FACILITADA - do mais concentrado para o menos concentrado sem gasto de ATP e Proteínas Carreadoras




FATORES QUE MODIFICAM A ABSORÇÃO

LIGADOS AO FÁRMACO
- formas farmacêuticas
- tamanhos da molécula
- velocidade absorção/dissolução
- características físico/químicas

LIGADOS AO LOCAL DE ABSORÇÃO
- pH
- circulação de superfície de absorção:
  pele - 1,7 m²
  pulmão - 70 m²
  TGI - 120 m²
- presença de alimentos
- mecanismo de transporte

EFEITO DE PRIMEIRA PASSAGEM
É o efeito que ocorre quando há biotransformação do fármaco antes que este atinja o local de ação.
Após a administração do fármaco, antes de ir para a corrente sanguínea, o fármaco entra no SISTEMA PORTA HEPÁTICO, sendo carregado através da VEIA PORTA HEPÁTICO para o FÍGADO.
O fígado metaboliza muitas drogas, as vezes, somente uma pequena quantidade da droga é distribuída para outros órgãos.



DISTRIBUIÇÃO
É a passagem de um fármaco da corrente sanguínea para os tecidos. A distribuição é afetada por:
- fatores fisiológicos e pelas propriedades físico-químicas da substância.
- da vascularização do órgão/tecido
- grau de ligação à proteínas plasmáticas - 
- solubilidade (pH e pKa) - fármacos poucos lipossolúveis, possuem baixa capacidade de permear membranas biológicas, sofrendo restrições em sua distribuição. Já as substâncias muito lipossolúveis podem se acumular em regiões de tecido adiposo, prolongando a permanência do fármaco no organismo. 


PROTEÍNAS PLASMÁTICAS - ALBUMINAS GLOBULINAS

- Afinidade entre a droga e a proteína
- Concentração sanguínea da droga
- Concentração da proteína no plasma

OBS.: EFEITO E ELIMINAÇÃO, OCORRERÁ SOMENTE COM O FÁRMACO LIVRE. O FÁRMACO LIGADO À PROTEÍNAS PLASMÁTICAS NÃO POSSUEM EFEITO.

EX.: ENALAPRIL pró-fármaco, a molécula ativa é um substrato chamado ENALAPRILATO (possui ação farmacológica)

METABOLIZAR - perda de medicamento, efeito de primeira passagem (fígado)
Ex.: Em uma administração de 100mg de nimesulida, (perde-se + ou - 30mg) usa-se realmente 70mg.

RESERVATÓRIO X FÁRMACO/PROTEÍNA

AMOXICILINA - 500mg . uma parte faz o efeito fármaco proteína.
300mg - forma-se o complexo fármaco proteína (não possui efeito, não passa por metabolismo, não é excretado).
200mg (livre) vai ser eliminado, metabolizado para se fazer efeito. E conforme esse é eliminado o reservatório vai liberando os outros 300mg aos poucos. Tempo de meia-vida de 4 horas de 250mg é o tempo que demora para se desligar.

AAS + VARFARINA (anticoagulante)
Sistema de competição, perda de efeito medicamentoso. 
AAS se liga ao receptor e a varfarina não faz efeito pois é o mesmo receptor do AAS.

BIODISPONIBILIDADE
É a quantidade de drogas que atinge seu local de ação ou um fluido biológico de onde tem acesso ao local de ação. É uma fração da droga que chega à circulação sistêmica, e que apresenta uma resposta farmacológica.

CARACTERÍSTICAS
- Gerar substâncias mais polares (+ hidrofílica).
- Aumentar a biotransformação, diminuindo o tempo de efeito.
- Diminuir a biotransformação, aumenta o tempo de efeito.
- Formação de metabólitos ativos ou inativos.

AS REAÇÕES DE BIOTRANSFORMAÇÃO OCORREM EM 2 FASES: 

FASE I: (ação das enzimas)
- oxidação
- redução
- hidrólise
FORMA-SE MOLÉCULAS MAIS POLARES

FASE II:
Conjugação de pequenas moléculas do organismo com as drogas ou seus metabólitos (conjugação ou síntese)
FORMA-SE COMPLEXOS, MAIOR POLARIDADE, PORTANTO MAIS HIDROSSOLÚVEL E MAIS FÁCIL SERÁ ELIMINADO.

FATORES QUE INFLUENCIAM A BIOTRANSFORMAÇÃO
- Sexo
- Idade
- Genética
- Espécie
- Patologias
- Dietas
- Vias de administração
- Ritmo cercadiano
- Propriedades químicas do fármaco
- Polimorfismo


Os três principais mecanismos enzimáticos responsáveis por sua oxidação em acetaldeído são: álcool desidrogenase, catalase e sistema microssomal de oxidação do etanol que essencialmente parte do citocromo P40. A álcool desidrogenase é a enzima mais importante para a oxidação do etanol. Entretanto a ingestão crônica de álcool leva a uma indução e aumento da taxa de oxidação pelo Citocromo P450.
O Acetato é convertido em acetil-CoA no fígado, que é oxidada ou convertida em aminoácidos, ácidos graxos ou glicogênio da mesma forma que a acetil-CoA proveniente de outros tecidos.

Interações em nível de biotransformação do etanol.
Alguns fármacos como ácido etacrínico, fenilbutazona, clorpromazina, hidrato de cloral, inibem a álcool desidrogenase, promovendo o acúmulo de etanol no organismo elevando a exacerbação de seus efeitos.
Algumas substâncias , DISSULFIRAM, METRONIDAZOL, GRISEOFULVINA, TOLBUTAMIDA, FENTOLAMIDA, FENTOLAMINA, CLORANFENICOL, QUINACRINA, CEFALOSPORINAS, inibem a aldeído desidrogenase, elevando a concentração sanguínea em 5-10 vezes de acetaldeído e desencadeando a síndrome do acetaldeído ou Antabuse. Essa síndrome caracteriza-se por intensa vasodilatação, cefaléia, dificuldade respiratória, náusea, vômito e taquicardia.
Mais especificamente o DISSULFIRAM é usado para tratamento do alcoolismo devido a estes efeitos.

INDUÇÃO ENZIMÁTICA
É uma elevação dos níveis de enzimas, ex. CITOCROMO P450 ou da velocidade dos processos enzimáticos, resultantes em um metabolismo acelerado do fármaco.
Alguns fármacos têm a capacidade de aumentar a produção de enzimas ou de aumentar a velocidade de reação das enzimas. 
EX.: FENOBARBITAL, um potente indutor que acelera o metabolismo de outros fármacos quando estes são administrados concomitantemente.
EX.: CARBAMAZEPINA, possui o mesmo efeito do álcool.

INIBIÇÃO ENZIMÁTICA 
Caracteriza-se por uma queda na velocidade de biotransformação, resultando em efeitos farmacológicos prolongados e maior incidência de efeitos tóxicos do fármaco. Esta inibição em geral é competitiva. Pode ocorrer, por exemplo, entre duas ou mais drogas competindo pelo sítio ativo de uma mesma enzima.
EX.: CIMETIDINA, é um inibidor da enzima P450.

EXCREÇÃO OU ELIMINAÇÃO
É a retirada do fármaco do organismo, seja na forma inalterada ou na forma de metabólitos ativos e/ou inativos. A eliminação ocorre por diferentes vias e varia conforme as características físico-químicas da substância a ser excretada.

VIAS DE EXCREÇÃO
RENAL
- Filtração glomerular;
- Secreção tubular;
- Reabsorção

Outras vias (biliar, leite, suor, saliva, lágrima, fezes).

A excreção está diretamente relacionada com a DEPURAÇÃO RENAL OU CLEARANCE ( é a medida da capacidade do organismo em eliminar um fármaco. Esta medida é dada pela soma da capacidade de biotransformação de todos s órgãos metabolizados. Assim, se um fármaco é BIOTRANSFORMADO nos rins, fígado e pulmões, o CLEARANCE TOTAL é a soma da capacidade metabolizadora de cada um desses órgão, isto é, é a soma do clearance hepático com o clearance renal com o clearance pulmonar.

EX.: FENOBARBITAL + BICARBONATO DE SÓDIO = reabsorção do sistema renal.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário